5 dicas na escolha da estufa ideal


5 dicas na escolha da estufa ideal.

Ao comprar uma estufa agrícola, lembre-se que o preço não é o item mais importante na hora da escolha. É preciso analisar outras questões que farão toda a diferença no sucesso do seu cultivo.

É claro que o preço é um item que pesa, uma vez que vai influenciar de forma direta no seu custo de investimento, mas de nada adianta optar pela estufa mais barata sem considerar a qualidade da estrutura e do material de revestimento, por exemplo. Portanto aqui vão algumas dicas para você ficar atento e não sair em desvantagem no momento da compra.

Modelo da estufa

Tenha em mente com “o que” você vai trabalhar, será com hortaliças? flores? frutas? ou somente produção de mudas? Há mercado para todas essas variedades, assim como, estufas ideais para cada tipo. A escolha de uma estufa correta resulta em uma melhor produtividade! Para o cultivo de hortaliças, por exemplo, nós indicamos as estufas ZannaLeve, ZannaTrel ou ZannaShow. Mas para o cultivo de flores e plantas temos também as opções ZannaHouse e MaxiVent. Ao todo são 9 modelos de estufas que elaboramos com todo cuidado para melhor atender às suas necessidades. Os modelos foram pensados levando em consideração a biologia e também os fatores climáticos que interferem no desempenho dos diferentes tipos de cultivo. Portanto, a escolha da estufa ideal de acordo com o que se deseja cultivar é o primeiro item a se considerar.

Estrutura

Madeira, aço e ferro galvanizado são alguns dos materiais mais usados para construção da estrutura da estufa. Independente do tipo, sempre opte por materiais de boa qualidade e procedência, a fim de diminuir os custos com manutenção ao longo do cultivo. Materiais de boa qualidade também proporcionam uma maior vida útil da estufa, possibilitando seu uso por diversos anos. A Zanatta trabalha com aço galvanizado a fogo, que confere ainda mais resistência e durabilidade do produto.

Cobertura da estufa

Junto com a estrutura, a cobertura é um item super importante em uma estufa, uma vez que é ela quem vai proteger seu cultivo de chuvas, granizos, ventos, geadas e outras intempéries. Além de ter um efeito “guarda-chuva” que minimiza a entrada de pragas. Um dos materiais mais utilizados no Brasil e no mundo para cobertura de estufas, é o polietileno de alta densidade com ativação. Há três tipos básicos: Leitoso, Transparente e Difusor de Luz. A escolha vai depender do ambiente e custo/benefício que deseja.

Sistema de irrigação e fertirrigação

Neste processo também há uma variação de preços de acordo com os sistemas. O método por Gotejamento possui um baixo custo de implantação e um bom aproveitamento da água. Já o de micro-aspersão tem um custo maior de investimento, no entanto permite irrigar áreas com até 92% de uniformidade.

Automação

Menos mão de obra, mais eficiência. A automação nas estufas já é uma realidade para quem busca otimizar seu tempo e dar mais uniformidade nos processos. Há comandos de controle desde liga-desliga manual, passando por temporizadores ou termostatos simples, até controladores com algoritmos, que usam déficit de pressão de vapor entre folhas, ar e fluxo de seiva como dados de entrada para tomar as decisões e emissão de um sinal de saída para as cortinas, exaustores, bombas e válvulas. É importante escolher a forma de controle de acordo com nível tecnológico exigido. Por exemplo: controlar um sombreamento em regiões onde há formação de nuvens diariamente é tarefa que exige vários estágios de abertura do sombreamento, o que requer um controlador mais sofisticado que um simples liga-desliga.

Para dúvidas e orçamento entre em contato conosco, possuímos representantes em diversas regiões do Brasil para melhor  lhe atender.